.

sexta-feira, maio 22, 2015

Faxineira de 66 anos volta a estudar para ajudar neto nas lições de casa

Histórias que envolvem avós e netos são extremamente especiais, muito por conta da ligação especial criada entre eles e do amor desprendido por ambos, e que acaba por transformar de alguma forma a todos.
a-faxineira-maria-das-merces-silva-66-voltou-a-estudar-para-ajudar-no-neto-nas-licoes-de-casa-1426684436048_615x470Conheçam a história da faxineira Maria das Mercês Silva, 66 anos, que quis muito ter frequentado a escola quando pequena, mas seu pai nunca deixou, pois dizia que era coisa de menino e que mulher tinha que saber apenas cozinhar. Sem saber ler e escrever, Maria cresceu, casou, cruzou o país, virou mãe, separou e tornou-se avó.

Depois de ter passado por diversas coisas na vida, ela diz que nasceu de novo, exatamente há dois anos, quando, incentivada pelo neto, dona Maria passou a frequentar a escola pela primeira vez.
Mãe de nove filhos e com a família toda em São Paulo, a pernambucana e radicada em Curitiba (PR) não perde uma única aula. Segundo a pedagoga Priscila Correia Costa, que falou ao site UOL, dos exercícios de matemática aos treinos de educação física, ela participa de todas as atividades propostas pelos professores da Escola Municipal Rachel Mader Gonçalves.

“Ela não falta aula. Empresta livros toda semana na biblioteca. Ela evoluiu muito”, afirma Priscila. Maria está no 2º período do EJA (educação de jovens e adultos) – o equivalente ao 4º e 5º anos do ensino fundamental – em uma turma de 12 alunos com idades entre 36 e 71 anos.

O principal estímulo de Maria vem do neto Felipe Alexandre Feitosa dos Santos, 10 anos, que vive com a avó desde que tinha 1 ano e 6 meses. Sem contato com os pais desde então, o menino sempre foi incentivado a estudar pela avó. A foi invertida quando Felipe passou a pedir ajuda nas tarefas escolares e, como resposta, ouvia o choro de Maria. “Eu chorava porque eu não conseguia ajudar nas tarefas”, lembra. “Vovó, vamos para a escola. Vai ser bom para você. Você vai aprender e vai me ensinar”, passou a dizer o neto.


Enquanto Maria está em aula, Felipe aguarda em uma sala de acolhimento, onde brinca e desenvolve atividades educativas. “Ela já melhorou muito. Reconhece palavras, escreve e sabe ler. Eu costumo corrigir as lições dela, mas eu quero que um dia ela corrija as minhas”, diz o “futuro advogado”, que frequenta o 5º ano na Escola Municipal Marumbi.

A história de Maria das Mercês e Felipe chamou inclusive a atenção do poder público. Felipe tornou-se um herói mirim do projeto Kids of Curitiba, que retrata o perfil de crianças vencedoras e com histórias de superação no perfil da Prefeitura de Curitiba no Facebook.

Com o avanço notável na escola, Maria orgulha-se em dizer que agora não tem mais medo de andar de ônibus. Antes, quando não sabia ler, era um desafio praticamente impossível. “Eu estou muito feliz. Estou igual a uma criança. Sabe quando a pessoa está cega e começa a enxergar? É isso que está acontecendo comigo hoje. Aprendendo a ler e a escrever, eu nasci de novo”, diz a faxineira que sonha continuar os estudos para ser professora.
Leia a matéria na íntegra aqui



domingo, maio 17, 2015

Os 10 mandamentos do voluntário

1. Todos podem ser voluntários
Não é só quem é "especialista" em alguma coisa que pode ser voluntário. Todos podem participar e contribuir: o que cada um faz bem pode fazer bem a alguém. O que conta é a motivação solidária, o desejo de ajudar, o prazer de se sentir útil.

2. Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária
Trabalho voluntário não é uma atividade fria, racional e impessoal. É contato humano, é relação de pessoa a pessoa, oportunidade para se fazer novos amigos, intercâmbio e aprendizado.

3. Trabalho voluntário é uma via de mão dupla: o voluntário doa e recebe
Voluntariado não tem nada a ver com obrigação, com coisa chata, triste, motivada por sentimento de culpa. Voluntariado é uma experiência espontânea, alegre, prazerosa, gratificante. O voluntário doa sua energia e criatividade mas ganha em troca contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de viver outras situações, aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil.

4. Voluntariado é ação
O voluntário é uma pessoa criativa, decidida, solidária. Não é preciso pedir licença a ninguém antes de começar a agir. Quem quer, vai e faz. Claro que quando a ação se dá no interior de uma instituição - como uma escola, uma biblioteca ou um hospital - a contribuição do voluntário deve estar bem articulada com as necessidades e procedimentos da entidade que o recebe.

5. Voluntariado é escolha
As formas de ação voluntária são tão variadas quanto as necessidades da comunidade e a criatividade do voluntário. Durante muito tempo o voluntariado no Brasil se concentrou na área de saúde e no atendimento a pessoas carentes. A ajuda a pessoas em dificuldade é fundamental, mas, hoje em dia, abrem-se também novas oportunidades nas áreas de educação, atividades esportivas e culturais, proteção do meio ambiente, luta contra a violência etc. Cada necessidade é uma oportunidade de ação voluntária. Basta olhar em volta e dar o primeiro passo.

6. Voluntariado é compromisso
Cada um contribui, na medida de suas possibilidades, com aquilo que sabe e quer fazer. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem de algumas poucas horas por semana. Alguns sabem exatamente onde ou com quem querem trabalhar. Outros estão prontos a ajudar no que for preciso, onde a necessidade é mais urgente. Cada compromisso assumido, no entanto, é para ser cumprido. Uma pequena ação bem feita tem muito valor. Nada é mais decepcionante do que prometer e não ser capaz de realizar.

7. Cada um é voluntário a seu modo
Alguns são capazes individualmente de identificar um problema, arregaçar as mangas e agir. Outros preferem atuar em grupo. Grupos de vizinhos, de amigos, de estudantes ou aposentados, de colegas de trabalho que se mobilizam para ajudar pessoas e comunidades. Por vezes é uma instituição inteira que se mobiliza, seja ela um clube, uma igreja, uma entidade beneficente ou uma empresa. No voluntariado é assim: não há fórmulas nem receitas a serem seguidas.

8. Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade
O voluntariado não compete com o trabalho remunerado nem com a ação do Estado. Sua função não é tapar buracos nem apenas compensar carências. Uma sociedade participante e responsável, capaz de agir por si mesma, não espera tudo do Estado. Assume também a sua parte sem abrir mão de cobrar dos governos aquilo que só eles podem fazer.

9. Voluntariado é uma ferramenta de integração social
Compartir alegria e aliviar o sofrimento de outros, melhorar a qualidade de vida em comum é um direito de todos. Todos têm o direito de ser voluntários. Os jovens, as pessoas portadoras de necessidades especiais, os aposentados e os idosos têm muito a contribuir com seus valores, experiência e criatividade. Assegurar a todos o direito de ser voluntário significa construir uma sociedade mais tolerante com as diferenças, mais solidária e unida.

10. No voluntariado todos ganham: o voluntário, aquele com quem o voluntário trabalha, a comunidade
Ao mobilizar energias, recursos e competências em prol de ações de interesse comum, o voluntariado combate a indiferença, a discriminação e a exclusão social, fortalece a solidariedade e a cidadania, reforça o pertencimento de todos a uma mesma sociedade. Ajudando aos outros, ajudamos a nós mesmos e a todos.

quarta-feira, maio 13, 2015

Garoto bate de porta em porta para arrecadar livros e montar uma biblioteca pública

Ricardo Oliveira Costa, 10 anos, descobriu o prazer da leitura logo cedo. Decidido a fazer com que mais pessoas da sua comunidade sintam o gostinho mágico das letras, ele bate de porta em porta na cidade onde mora, Santanápolis (BA), recolhendo livros para montar uma biblioteca pública.

“Minha escola me apóia muito, minha mãe também. Com a leitura, vejo uma porta aberta nesse país”, ressalta o garoto.

Incansável, ele já conseguiu 5 mil livros e não pretende parar. A professora de Portugês da Escola Dr. Juliano Moreira, onde Ricardo estuda, Leticia Silva, diz que o menino adora o que faz, e teve a ideia da biblioteca sozinho.

“Ele pensou, produziu uma proposta com a mãe dele, e nós só temos que ajudá-lo a levar isso para frente”, afirma a professora, cumprindo o seu papel de mediadora na concretização do sonho de Ricardo, que esbanja sensibilidade e maturidade.






domingo, maio 10, 2015

Dia das Mães

Hoje resolvi fazer uma coisa diferente:
Ao invés de escrever coisas bonitas, citar Clarice Lispector, Drummond ou tantos outros poetas, ou até generalizar as felicitações, decidi que iria contar pra vocês o que o Dia das Mães significa pra mim.
É fácil falar as inúmeras coisas que uma mãe faz ou já fez pela gente, ou tudo o que ela já passou por nossa causa (e olha que são inúmeras coisas mesmo! Imagina quanto tempo eu ia ficar aqui escrevendo? haha). Mas já pensou em valorizar isso no dia a dia, no momento em que essas ações são feitas? (Sim, isso inclui todas as vezes que ela foi nas reuniões de pais na escola, toda vez que mandou você arrumar o seu quarto, ou pedir desculpas pro seu irmão por um comentário infeliz).
Eu tenho uma mãe. Sempre tive. E eu sei que a gente sempre tem mania de achar que a melhor mãe do mundo é a nossa, mas a minha é REALMENTE a melhor! Apesar de às vezes ter me desentendido com ela por motivos idiotas, ter me estressado com ela (ou, mais frequentemente, ela ter se estressado com algo aleatório que aconteceu no dia dela e descontado em mim), o que permanece são as coisas boas - e a força de vontade; eu procurei ser uma boa filha, e nunca dar muito trabalho pra ela também. 
Tenho 21 anos, e sou portadora de Lúpus desde os 13. Eu sempre amei a minha mãe mais do que tudo na minha vida, mas esse acontecimento em especial me fez intensificar o significado da palavra "Mãe". Com 13 anos você está no meio da puberdade, em plena adolescência, é rebelde por causas insignificantes e não quer respeitar as coisas que a vida te impõe quando você não tem vontade. Eu me sentia exatamente assim: tinha crises, tomava mais remédios que as pessoas normais da minha idade, saía menos, meus pais me protegiam mais (quando a gente na verdade quer começar a sair e abrir as asas), e tudo era "mais", quando eu queria que fosse "menos". 
E é aí que a minha mãe entra: cuidava de mim em cada segundo - fosse perguntando se eu estava bem, se precisava de alguma coisa, ou me levando pro hospital quando eu precisava. Me cortava o coração cada vez que eu via minha mãe dormindo encostada numa parede gelada de hospital só pra me fazer companhia, ou quando eu acordava e me deparava com ela rezando baixinho pra que eu ficasse bem. E quando eu melhorava, ela estava lá também. E quando eu melhorava, era por mim e por ela. Sempre foi.
Mas é claro que não quero que você que está lendo fique com dó de mim, até porque isso faz tempo! Não tenho crises de Lúpus há pelo menos 5 anos, e desde então, conquistei aquela independência que eu queria. "Criei juízo", como a minha mãe gosta de dizer: me formei na escola, fiz 18 anos, entrei pra faculdade de Jornalismo (e estou quase me formando também!), participei de alguns programas e congressos internacionais e comecei a viajar bastante - venho trilhando meu caminho com responsabilidade (tomo meus remédios direitinho, vou ao médico, e agora saio, às vezes até mais que uma pessoa normal da minha idade haha). Mas a minha mãe continua a mesma: boazinha, sempre lá por mim - sempre perguntando se estou bem, se preciso de algo, o que estou fazendo, como vai a faculdade, o estágio, se tenho namorado e ela não sabe...haha.
Recentemente, eu fui pega pela dengue. E com isso eu vi aquela mãe novamente, a minha mãe dos 13 anos, tão empenhada em cuidar de mim. Melhorei da dengue em 7 dias, mas nesse meio-tempo eu me lembrei do quanto era importante pra mim valorizar aquele cuidado que ela tinha comigo, aquela afeição, e aquele "vai ficar tudo bem" de sempre. É por isso que eu faço questão de dar um abraço e dizer que a amo todos os dias.
Até porque, você pensa que ela é assim só nos dias ruins? Se enganou. Nos bons momentos ela é ainda melhor! Me lembro que, no ano passado, quando fiz a minha primeira viagem internacional para representar o Brasil num congresso na Austrália, fiquei com receio de contar, porque ela com certeza iria ficar SUPER preocupada (como qualquer mãe). Mas ela exalou felicidade, e soltou um sonoro "Parabéns! Tenho muito orgulho de você, filha". Aquilo ficou guardado em mim, e eu me lembrei que quando minha mãe está feliz, eu fico mais feliz ainda! 
Por isso, eu tento valorizar esse anjo que Deus me deu cada santo dia. Claro que no Dia das Mães eu cumpri o protocolo e dei presentes, flores e um almoço especial. Mas durante a semana, eu prefiro presenteá-la com um abraço, um beijo no rosto, um "como foi o seu dia?", uma boa conversa, um sorriso, uma piada e uma boa dose de atenção. Prefiro aproveitar o presente que é ter uma mãe como ela. Claro que sou sempre grata pela família e pelos amigos maravilhosos que tenho, mas a minha mãe é realmente um ser excepcional, e eu não vivo sem ela.
Feliz Dia das Mães para todas as mães do Brasil, para as que dedicaram um tempo lendo este texto, para as madrastas, para as mães que viajam muito, para as mães loucas, as conservadoras, para os pais, avôs e avós que fazem papel de mãe, e para as inúmeras famílias adotivas (ou amigos e conhecidos que acabam adotando como família).

Sinceramente,
Fernanda Lagoeiro.


sexta-feira, maio 08, 2015

Menino quebra porquinho para ajudar Nepal

A generosidade de um menino de 12 está comovendo leitores no mundo inteiro.
Depois de juntar dinheiro durante dois anos, um menino quebrou seu cofrinho para ajudar as vítimas do terremoto no Nepal.
Natural de Calcutá, no oeste da Índia, Akash Mukherjee, de 12 anos, havia poupado mais de 3,5 mil rúpias (R$ 165) para comprar uma bola nova de futebol e um presente para seus pais.
Em vez disso, ele conta que mudou de planos depois de ver a situação dos sobreviventes do terremoto na TV.

"Quando vi as imagens na TV de crianças da minha idade morrendo de fome e completamente desabrigadas, aquilo me partiu o coração", disse ele.

"Tinha um dinheiro guardado que juntei por dois anos. Então, eu decidi doá-lo".

Os pais de Akash foram até o consulado do Nepal, onde o menino entregou o cofre aos funcionários da repartição diplomática.
"O cônsul veio até nós e abraçou meu filho. Ele disse que a quantidade de dinheiro que meu filho estava doando não era importante. Mas só um menino da idade dele pensar no sofrimento alheio era algo extraordinário", disse o pai de Akash, Gora Mukherjee, que trabalha em uma multinacional.
Segundo Mukherjee, os funcionários do consulado levaram cerca de uma hora para contar todo o dinheiro, porque as moedas "tinham um valor de face muito baixo".
"O consulado nos pediu para que depositasse o dinheiro no banco. Mas faltava poucos minutos para a agência mais próxima fechar. Quando chegamos, um funcionário se prontificou a nos ajudar assim que soube por que estávamos ali", disse o pai do menino.

Generosidade

Essa não é a primeira vez que Akash (foto acima) doa dinheiro para uma boa causa.
Ele atuou em um filme e decidiu destinar o cachê a uma instituição de caridade.

"Akash sempre doou, desde que tinha cinco anos de idade. Tentamos incutir esse hábito nele desde a infância", afirmou a mãe do menino, Manisha Mukherjee.

Agora que doou todas suas economias, como Akash vai comprar um presente para seus pais ou a sua bola nova?
"Isso pode esperar. Vai levar um tempo até eu conseguir encher um novo cofrinho", disse.

Mais de 7 mil pessoas morreram por causa do tremor de magnitude 7,8 que atingiu o Nepal há duas semanas. Outras 14 mil ficaram feridas.

Com informações da BBC
 

quinta-feira, maio 07, 2015

Campinas terá programação de Circo Teatro a partir dessa semana

O projeto Barracão Circo Teatro oferece palestras e releituras dramáticas de peças em Campinas (SP). A programação segue até o dia 16 de maio e tem entrada gratuita.

As atividades vão abordar o gênero Circo Teatro, que faz uma ligação entre o palhaço e as máscaras da commedia dell’arte, foco do trabalho artístico do Barracão Teatro. As apresentações acontecem na Estação Cultura, na Praça Floriano Peixoto, Centro, e na sede do grupo no distrito de Barão Geraldo.

Palestra - "Dramaturgia no Circo Teatro"
Quando: 06 de maio, às 20h
Onde: Sala Toninhos, Estação Cultura

Releitura - “Quero Mamar”
Quando: 08 de maio, às 20h
Onde: Sala Toninhos, Estação Cultura

Releitura - “No Espeto”
Quando: 09 de maio, às 20h.
Onde: Sala Toninhos, Estação Cultura

Palestra “A Tradição e a Atualidade nas comédias de Circo Teatro: uma visão entre a farsa e a comédia”
Quando: 13 de maio, às 20h
Onde: Barracão Teatro

Releitura - “Detetive por acaso”
Quando: 15 de maio, às 20h
Onde: Barracão Teatro

Releitura - “O Falso Barão”
Quando: 16 de maio, às 20h
Onde: Barracão Teatro

Fonte: G1

quarta-feira, maio 06, 2015

Clássicos para todos: Fundação lança livros infantis acessíveis a deficientes visuais



Um belo projeto feito pela Fundação Dorina Nowill para Cegos promete transformar a leitura dos tradicionais contos de fadas em algo fácil para toda e qualquer criança.  A Fundação está lançando obras como Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve, Bela Adormecida, Cinderela, João e Maria ou Os Três Porquinhos em formato inclusivo, ou seja, em braile, com fonte ampliada – letras grandes – relevo e audiodescrição das imagens. Isso faz com que os pequenos com problemas na visão possam conhecer esses enredos. Algo simples para tantas crianças e que, até então, era inacessível aos deficientes visuais. “Para uma criança esses livros representam um primeiro contato com a leitura, com o universo dos contos, por trabalhar o imaginário com a atmosfera lúdica que as narrativas proporcionam”, conta Ana Paula Silva, coordenadora de acesso ao livro da Fundação Dorina Nowill.

sexta-feira, maio 01, 2015

Gratidão: jovem paralisada faz surpresa para enfermeira que a cuidou

surpresaPessoas que amam o que fazem são sempre uma fonte de inspiração para nós, recentemente publicamos a história de um enfermeiro que para distrair uma criança na hora de aplicar uma injeção, fez várias peripécias para o pequeno dar risada, relembre aqui.

Becky Miller, uma moradora do Texas que ficou paralisada da cintura para baixo durante o período de 11 dias, fez uma surpresa maravilhosa para a enfermeira que a cuidou com tanto afinco e carinho durante os dias em que esteve internada. Depois de curada, ela voltou até o hospital na cadeira de rodas e quando a enfermeira surgiu, a jovem ficou de pé e a abraçou. Ela explode em alegria e lágrimas ao ver Bailey e grita: "Obrigado, Senhor."

O vídeo que mostra a reação da enfermeira foi visto 8 milhões de vezes no Youtube, e pode ser visto aqui.

 

quarta-feira, abril 29, 2015

O menino que carrega seu melhor amigo nas costas para a escola há 3 anos

Se alguma vez você já pensou no que a amizade verdadeira significa, pode ter certeza de que estes dois estudantes chineses têm a resposta na ponta da língua. Para eles, o companheirismo deve estar acima de qualquer dificuldade: é o que Xie Xu, de 18 anos, demonstra ao carregar seu colega Zhang Chi, de 19, todos os dias para a escola nas suas costas.

Zhang Chi sofre de distrofia muscular, uma doença que resulta no enfraquecimento muscular progressivo. Para que isso não se torne um empecilho para o amigo, Xie Xu o carrega todos os dias para a escola em suas costas. Além disso, ele ainda aproveita para levar a comida ao amigo todos os dias. A rotina já dura três anos, tempo em que os dois não faltaram à aula um dia sequer. 

Se não bastasse a amizade inigualável, eles ainda dão o exemplo para os colegas, sendo os melhores estudantes da turma. O gesto é ainda mais importante quando comparamos isso ao fato de que mais de 200 mil estudantes chineses deixam de frequentar a escola por causa de deficiências físicas ou mentais. As fotos abaixo servem como uma inspiração e são também uma lição de vida para todos nós.





Fonte: Hypeness



terça-feira, abril 21, 2015

Ao ver que seu lixo foi revirado, dona de restaurante faz cartaz emocionante

Ashley Jiron é dona do pequeno restaurante P.B. Jams, em Warr Acres, no estado americano de Oklahoma, e ficou muito chocada ao perceber que o seu lixo havia sido revirado por alguém em busca de comida. Mas, em vez de simplesmente ignorar o que aconteceu ou ainda tentar dificultar o acesso ao lixo, ela fixou em sua porta um cartaz simples, mas arrebatador:



“Para a pessoa que vai atrás de nosso lixo para sua próxima refeição, você é um ser humano e vale mais que uma refeição de uma caçamba de lixo. Por favor, entre durante o horário de funcionamento para um sanduíche, vegetais frescos e um copo d’água sem nenhum custo. Não farei perguntas. Sua amiga, a dona”, escreveu Ashley no cartaz que se espalhou pela internet e ganhou espaço no noticiário americano.

Ela deu uma entrevista para a emissora local KFOR, e contou que percebeu há uma semana que algumas sacolas de lixo estavam fora da caçamba, abertas, e que parte dos restos de alimentos haviam sido levados.

— Me machuca alguém ter que fazer isso — disse a dona do restaurante, ressaltando que refeições grátis é o mínimo que ela pode fazer. — Eu acho que todo nós já estivemos na posição de precisar da ajuda de alguém e nós apenas precisávamos de alguém para estender as mãos. E se eu puder ser essa pessoa a estender a mão para outro ser humano, eu farei.

O cartaz ficará na porta do restaurante até que a pessoa apareça. Ashley acredita que o orgulho talvez mantenha a pessoa, mas torce para que ela apareça e aceite o seu convite.

quinta-feira, abril 09, 2015

Lume Teatro promove 30 horas de programação artística gratuita

O Lume Teatro, tradicional grupo com sede no distrito de Barão Geraldo, em Campinas, realiza neste sábado (11) e domingo (12), o evento “Lume 30 anos em 30 horas”, que, como o nome já diz, terá 30 horas ininterruptas de programação artística gratuita e aberta ao público, como parte das comemorações pelas três décadas de vida do grupo.

Espetáculos do próprio Lume e convidados, intervenções, performances, vivências, oficinas, projeções e instalações estão na agenda da "virada" promovida pelos artistas, que também vai contar com barracas para comercialização de comidinhas e bebidas.

Confira a programação completa:

Espetáculos, demonstrações técnicas e vivências:

Sábado - 11/04:
14h00 – Espetáculo “Parada de Rua”, com Lume Teatro
16h00 – Espetáculo “Um dia com a Família Burg”, com Joana Piza, Ivens Burg e Hugo Burg
17h30 – Demonstração “Alphonsus”, com Raquel Scotti Hirson (Lume Teatro)
17h30 – Espetáculo “O Poste”, com Daniel Salvi
18h10 – Apresentação Eduardo Okamoto
19h00 – Lume Alumia, com os atores do Lume Teatro e convidados
20h00 – Espetáculo “Cravo, Lírio e Rosa”, com Carlos Simioni e Ricardo Puccetti (Lume Teatro)
22h00 – Música “Afro-Brasileira”, com Dj Digão

Domingo 12/04:
00h00 – “Cabaret da Meia-Noite” – Naomi Silman e Ricardo Puccetti (Lume Teatro) convidam: Família Burg, Silvia Leblon, Paraladosanjos e Lily Curcio
01h30 – “Palestra com cerveja”, com Renato Ferracini (Lume Teatro)
02h30 – Espetáculo “SerEstando Mulheres”, com Ana Cristina Colla (Lume Teatro)
04h00 – “Cenas, Contos e Cantos”, com Isis Madi, João Arruda, Edu Sanfona, Ana Elvira Wuo, Jesser de Souza (Lume Teatro) e Raquel Scotti Hirson (Lume Teatro). Os interessados podem levar instrumentos musicais para participarem da apresentação
05h10 – Espetáculo “Versão Brasileira”, com Los Circo Los - Vitor Poltronieri e Rodrigo Mallet
06h00 – Espetáculo “Café com Queijo”, com Ana Cristina Colla, Jesser de Souza, Raquel Scotti Hirson e Renato Ferracini (Lume Teatro)
07h20 – Música: “Salva de Alvorada”, com Caixeiras das Nascentes
07h45 às 08h45 – Café da manhã coletivo
08h30 – Vivência em treinamento energético, com Ricardo Puccetti (Lume Teatro)
08h30 – Momento inspiração:¬ Yoga com Marie Furlanetti (Mahi Yoga)
09h00 – Espetáculo “O Poste”, com Daniel Salvi
10h00 – Espetáculo “João de Barros - Mais uma brincadeira poética”, com o Grupo Engasga Gato
11h30 – “Ju...?”– Espetáculo de sons e movimentos para pequenos, com o Grupo Água Viva
11h30 – Exibição do documentário “Hotxuás” e explanação sobre o trabalho, com Ricardo Puccetti (Lume Teatro)
13h00 – Pic-nic – (Haverá venda de pratos especiais neste horário) 
14h30 – Vivência coletiva de voz, com Carlos Simioni (Lume Teatro)
15h30 – Vivência em dança, com Cia. MoviMente - Léo Mologni e Yacari Karla
16h00 – Espetáculo “La Scarpetta”, com Ricardo Puccetti (Lume Teatro)
17h30 – Música, com o Grupo Pífanos Flautins Matuá
18h30 – Finalização: Roda de Samba Núcleo Cupinzeiro

Intervenções, jogos, eventos e atividades

Sábado  - 11/04

Das 14h às 18h:

Abertura: Boas Vindas às celebrações dos 30 anos do Lume

Intervenção Musas: “O que te musa?”, com Cynthia Margareth, Marina Franco, Mariella Siqueira, Érika Cunha, Cristiane Taguchi e Margarida Sequeira

Intervenções: Ricardo Puccetti (Lume Teatro), Palhaça Jurubeba, com Gabriela Winter

Das 19h às 24h:

Intervenções: Mauro Braga e Edu Sanfona – Cello e Sanfona, Carlos Simioni (LUME Teatro), “Poesia ao Pé do Ouvido”, com Moacir Ferraz (Boa Companhia)
Bar “Os Bem-Intencionados”

Domingo 12/04, das 0h às 6h:

Intervenções: Naomi Silman, Ricardo Puccetti, Renato Ferracini (Lume Teatro), “O Que Você Está Fazendo Agora?”, com Cambar Coletivo e Núcleo Fuga, “Canção do Beco”, com Mauro Braga, Palhaça Jurubeba, com Gabriela Winter.

Das 6h às 12h:

Intervenções: Palhaços Carolino e Teotônio, com Carlos Simioni e Ricardo Puccetti (LUME Teatro), “O Que Você Está Fazendo Agora”, com Cambar Coletivo e Núcleo Fuga.

Jogos e atividades para a família: vivências, pintura de muro e oficina de arte. Com monitores voluntários e famílias do Lume

Das 13h às 20h:

“Pérolas do Lume”: Histórias e canções com Pedro de Freitas, José Divino Barbosa, Suzi Frankl Sperber, equipe e atores Lume Teatro

Ritual coletivo: Baú dos desejos, plantio de árvore

Cabine “Revele-se em 30”:
Uma cabine, uma câmera de vídeo e 30 perguntas. Aperte o play e responda uma em 30 segundos (Equipe Diálogos de Produção).

Projeções “LUME na intimidade”:
Fotos e vídeos que retratam histórias e bastidores do Lume em seus 30 anos. Pequenas projeções por diversos espaços e cantos da sede, mostrando a intimidade e curiosidades do grupo (por Kaian Ciasca e Alessandro Soave). 

Exposição “A Cena Por Aí”:
Mostra do fotógrafo Arthur Amaral apresenta imagens realizadas durante dois anos acompanhando a cena teatral da cidade, entre elas retratos de espetáculos teatrais dos grupos campineiros Lume Teatro, Boa Companhia, Cia. Honesta de Teatro, entre outros. 

Cantinho soneca
Um cantinho preparado para sonecas rápidas.

Gastronomia
Durante todo o evento estarão à disposição do público barracas que comercializarão comidas e bebidas diversas como Confraria da Berinjela, Barraca de Pastel da Juju, Yaksobão, Tempero Caseiro – Massas, Carnes, Bolos e Tortas, Ceviche – Y Otras Cositas Más, Paella Caipira, La Peruana e Cozinha Lá Em Casa.

Serviço:

Evento “Lume 30 anos em 30 horas!”
Local: Sede do LUME Teatro. Rua Carlos Diniz Leitão, 150 , Vila Santa Isabel, Barão Geraldo – Campinas
Data: 11 e 12 de abril 
Entrada: gratuita

sexta-feira, março 27, 2015

Bingo Hospitalhaços faz alegria de novatos e veteranos em prol da humanização Hospitalar

A 14º edição do Bingo Solidário da Hospitalhaços contou com cerca de 80 pessoas. A recepção aconteceu no espaço Meliá, no Hotel Tryp, em Campinas. Os convites que estavam à venda por R$ 30,00 davam direito a entrada, coffee break e três cartelas para o jogo. Além disso, era possível adquirir cartelas avulsas a cada nova rodada, com valores entre R$ 3,00 e R$ 5,00 com toda a renda arrecada revertida para a ONG.

Alguns dos presentes eram velhos conhecidos, como a professora aposentada Analuci, oitava vez que participa do evento, acompanhada por um grupo de amigas, famosas por serem “pé quente”, pois sempre ganham muitas prendas. “O palhaço que estava aqui da outra vez me apelidou de ‘dona prancheta’, disse que não adiantava ninguém jogar porque eu iria ganhar”, lembra.

A festa não contou só com veteranos, lá estava também o gerente comercial Marcelo Freitas. Ele que não conhecia a ONG, descobriu o bingo pela divulgação do evento em nossa fan page e foi prestigiar, “é a primeira vez que eu venho, mas estão de parabéns!”, comenta Freitas.


Os ganhadores foram presenteados com diversos tipos de prendas: vale-lanches, calçados, brinquedos, kits de maquiagem, artigos para casa, vale-compras, convites para jantares, chocolates e outros presentes.

A comerciante Isabele Sabel procura participar dos bingos todos os anos e se considera “sortuda”, pois ganhou alguns brindes na tarde do último sábado (21/03). “Eu venho todo ano e sempre ganho alguma coisa, é bom que eu ajudo e fico feliz duas vezes”. Para alguns o mais admirável é participar e levar sorrisos por meio da Hospitalhaços, é o que garante a empresária Rita Ambrosini, que participa pela segunda vez, mas não faturou nenhuma prenda. “Por enquanto, eu só ganhei experiência, mas o importante é ajudar”.

Esse ano o evento recebeu o apoio de 55 empresas para realizar o bingo. A ONG Hospitalhaços agradece a todos que ajudaram de alguma forma e fizeram este dia acontecer de uma maneira mais que especial.



O Destino da Renda Arrecada

Os recursos arrecadados serão revertidos para a manutenção das atividades desenvolvidas pela entidade em 20 hospitais públicos da Região Metropolitana de Campinas (RMC). A ONG atua na humanização hospitalar e atende pessoas que estão internadas, seus familiares e corpo médico.
Além disso, também faz manutenção das brinquedotecas próprias nas unidades pediátricas e oferece oficinas de artes plásticas para  pacientes e seus acompanhantes


Patrocinadores (Café da Tarde)
Salgados:

• Bambini

• Gislaine Salgados

• Kit para festa

• La coxinha

• Pão de Queijo Cremoso

• Restaurante Rosário

• Abelha Gulosa

• Supermercado Covabra

• Tartanero



Flores:

• Florateria – Calçada das Flores


Bebidas:

•  Joe & Leo’s


Doces:


• Docerias da Ilma

• Empório Santa Verena / Confeitaria Dolder

• Fino Grão Paneteria

• Padaria Santa Clara

• Padaria Castro Mendes

• Padaria Germânia

• Nico Paneteria

• Padaria Nossa Senhora de Fátima

• Padaria Paula Bueno

• Padaria Veneza

• Truques da vovó


Patrocinadores (prêmios)

• Academia Curves

• Angela Lemos semiJóias

• O Boticário

• Cacau Show

• Café Tablão

• Duo Pilates

• Fernanda Lorenzeti

• Fornitura relógios

• Geraldo Alta Costura

• Giovannetti

• Gisele Sampaio

• Idalvo’s

• Individual

• Janela Janelinha

• Kolosh

• Linda Dona

• Mara Cabelos

• Maranata Modas

• Mary Kay (consultora Talita Carvalho e Scheila Cury)

• Mirella Guida Assad

• Mother’s Chocolates

• Natura

• Pampili

• Prime Italian

• QuiArt

• Silvia Faé Moda Feminina

• Skina Magazine

• Structure

• Subway Shopping Dom Pedro

• Trilha Verão

• Vijú SemiJóias


Confira algumas fotos:







Para ver todas as fotos acesse o link!

Por: Patricia Lopes
Jornalista da Equipe de Comunicação da Hospitalhaços

domingo, março 22, 2015

22 de março - Dia Mundial da água


O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.
 Até porque, atualmente, precisamos muito né? O que todo mundo achava que seria interminável e usava normalmente, sem medo do amanhã, está acabando - podemos ver isso pelo próprio sistema Cantareira, que luta para recuperar as suas reservas (já escassas).
Chegamos ao ponto de ter que decretar multa devido ao desperdício! E nenhum de nós sabe aonde vamos parar, se a água vai acabar, ou se as águas de março que fecharam o verão serão suficientes para nos manter...porque o inverno vem aí, e com ele um possível período de estiagem. 
Por isso, para hoje, duas dicas:

1- Apesar de clichê (sim, vocês já devem ter ouvido isso 123456 mil vezes), economizem água o quanto puderem. O racionamento já é uma ´prática real em alguns lugares do país, e a coisa pode piorar ainda mais!

2- Aproveitando a data, foi lançada uma campanha: A cada hashtag ‪#‎nofilter‬ postada no Instagram, a @wavesforwater vai doar 1 galão de água potável para quem precisa. Já que tem tanta gente desperdiçando, é importante ajudar quem não tem acesso à esse bem também! Vários famosos já deriram à campanha, agora só falta você. Vamos?

Por Fernanda Lagoeiro.

quinta-feira, março 12, 2015

Menino ganha braço biônico igual ao do Homem de Ferro

O garoto Alex Pring ganhou uma prótese especial para substituir seu braço direito. Ela imita o braço do Homem de Ferro.

A prótese foi entregue a Alex por Robert Downey Jr, ator que interpreta o super-herói no cinema. O vídeo da entrega foi divulgado hoje na internet.

Alex tem sete anos e vive na Flórida. Ele ganhou a prótese do engenheiro Albert
Manero, diretor da Limbitless Solutions.

A Limbitless Solutions é uma organização voluntária. Ela reúne pessoas que trabalham no desenvolvimento de braços biônicos a partir de impressoras 3D.

A prótese de Alex custou 350 dólares. O valor é bem menor que o de outros modelos usados atualmente, que chegam a valer 40 mil dólares.

Como Manero participou do Collective Project (um projeto da Microsoft voltado para estudantes), a empresa ajudou na divulgação da iniciativa.

Veja o vídeo da entrega do novo braço de Alex (está em inglês):



Fonte: Exame

domingo, março 08, 2015

Dia da Mulher (ou o que isso representa pra você)


Antes de começar realmente o texto, vamos deixar essa história de sexo frágil pra trás, ok? Isso não existe mais. Aliás, nunca existiu. Porque a mesma mulher que você pode considerar frágil, está mil anos luz à frente em muitas questões (especialmente em maturidade). Pense nas mulheres da sua vida...o que você seria/faria sem elas?
Mas enfim, sem mais discutir quem é melhor ou pior, quem tá certo, quem tá errado. Quero (e gosto de) tratar as coisas e as pessoas de maneira igual. Até porque, eu acho que é isso o que realmente falta.
É muito fácil eu sair falando que mulher tem que ganhar o mesmo salário que o homem, que tem que ser tratada de maneira igual, que tem que ser menos julgada, que tem que ter mais espaço nas empresas, na agricultura (pesquisas comprovam que mulheres na agricultura aumentam mais os rendimentos porque sabem exatamente onde investir! Olha que legal) ou ainda, que a sociedade tem que ser menos machista (apesar de isso tudo ser verdade e eu ainda não acreditar que as coisas possam estar tão distantes disso em pleno século XXI). Do mesmo jeito que, ao mesmo tempo em que fico feliz por termos um dia só nosso, isso não significa muita coisa na vida real.
Pagar menos na balada é legal, mas lá dentro, muitas vezes, somos tratadas como objeto. Do mesmo jeito que, se você sair de casa sem guarda-chuva e tomar aquele banho, vai ouvir cantadas e coisas bem insignificantes, sem ter feito nada pra provocar – e mesmo assim, “estar provocando”. E roupa curta? Alerta vermelho – nem pensar, menina! Imagina só, se você vai querer ser julgada por aí. E olha você sendo tratada como objeto de novo!
Então, assim como fazemos um pedido de aniversário, ou como as Misses pedem paz mundial, eu queria poder pedir que as coisas fossem diferentes – e mais equilibradas. Que não houvessem ocorrências de estupro e/ou violência contra a mulher a cada duas horas. Que as empresas parassem de contratar mulheres pela aparência – ou descontratar porque ficaram grávidas e vão precisar de licença maternidade. Que o padrão de beleza não tivesse tanto peso na mente e na vida na sociedade. Que as mulheres pudessem usar o que quiser sem a preocupação de parecer vulgar (e sem essa paranoia incessante de que roupa vestir, ou de colocar um salto alto para um homem gostar e você ficar mais “menininha”). Que eu não tivesse que consolar várias amigas (ou a mim mesma) cada vez que um cara idiota generaliza as trata como uma qualquer (como se elas fossem sem sentimentos e só servissem pra satisfazer as vontades dele). Que a mulher possa ter a opção de escolher namorar e/ou ter uma família quando e com quem ela bem entender  (e se ela quiser não ter filhos, ser solteira e viajar o mundo? Pode também). Que mulher não tivesse a obrigação de parecer uma mulher, mas de ser o que quiser.

Então, como um desejo de Dia das Mulheres – eu, sua irmão, sua mãe, sua namorada, nós, todas as mulheres - não queremos só flores, bombons, mensagens bonitas, sobremesas de graça e descontos no shopping. Queremos ser livres. Queremos que você saia da caixinha e abra a sua mente para que as coisas mudem, para que a nossa mente feminina (que já está estereotipada e acostumada com a realidade) possa mudar também. E aí, quem sabe, não comemoramos o Dia da Mulher todos os dias? Eu faço questão de escrever um texto novo sobre isso.